F

Acabou de sair

 https://livrosvamosdevoralos.blogspot.com/2018/06/resenha-ainda-sou-eu-de-jojo-moyes.html  https://livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br/2018/04/resenha-ligeiramente-perigosos-mary.html  https://livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br/2018/04/o-que-li-em-marco-2018.html

O que você procura?

08 março 2018

Você sabia? Mulher não escreve só romance (ela escreve o que ela quiser) 😉

Foto: Tumblr



Uma vez ouvi dizer que "mulher só escreve romance". Isso não te soa preconceituoso? Outra vez li uma publicação (não lembro onde) que dizia que ainda, em pleno século XXI, há pouquíssimas mulheres na literatura e dentre essas, a grande maioria escreve romance romântico - muitas delas pressionadas por seus editores. Acredito sim que a mulher ainda tem muito espaço para conquistar no universo literário, que ainda existe um certo preconceito no mercado editorial, e que existem SIM uma infinidade de autoras que escrevem romances. E sobre esse último, que bom pra gente. Quanto mais romance melhor e não tô nem aí se alguém discorda! Por outro lado, intrigada, fiquei olhando minha estante e percebi quantos livros incríveis existem, escritos por mulheres, e que não são romances. 

Na sociedade em que vivemos hoje é delicado até falar nesse assunto. Não pesquisei nenhuma estatística, mas se realmente a grande maioria das autoras escrevem romances, qual o problema nisso? Quem pode afirmar se alguma delas foi mesmo pressionada pelo mercado editorial a criar um romance ao invés de uma fantasia como ela desejava, ou se ela escreve romance porque quer e gosta? Veja bem, não estou dizendo que não existe um preconceito e certa pressão em relação a isso. Longe de mim! Mas quando vejo uma mulher dizendo que "mulher só escreve romance", me questiono se somente os homens são machistas. Acho que isso tem sido posto muito a prova atualmente. A mulher pode e deve escrever o que ela quiser! Se é romance de época. Bom! Se é romance erótico. Bom! Se é thriller, fantasia, drama, romance policial. Bom também! 

Minha intenção não era fazer textão, muito menos fazer uma "análise construtiva  blá blá blá sobre o empoderamento feminino". Vamos simplificar, só queria desabafar. 😂😂 Existe muita luta ainda pela frente, mas vamos simplificar um pouco a vida, relaxar e pensar no espaço que já conquistamos. Para esse Dia internacional da mulher queria mostrar a vocês, com alguns exemplos, que não importa o gênero literário, a mulher pode e deve escrever o que ela quiser! 



Agatha Christie


O primeiro exemplo (pra chutar tudo mesmo) é Agatha Christie. Gente, essa mulher é o máximo, né!? Apesar de ter atuado em outros gêneros, como já sabemos, se destacou com uma infinidade de romances policiais escritos. Ao longo dos séculos, mesmo depois de sua morte, seus livros foram vendidos em cerca de quatro bilhões de cópias. Tem que ter muito talento, minha gente!



Elizabeth Haynes e Leena Lehtolainen


Se tem um gênero que amo é thriller/suspense. Se vem acompanhado de uma história que faz uma crítica social sobre o machismo, então! Melhor ainda! Se não tiver também não importa. Essas são duas das minhas autoras preferidas do gênero e não poderiam faltar aqui. Os livros delas são INCRÍVEIS!




Mary, Paula, Gillian e Lisa



Dentro do mesmo gênero, quantas autoras incríveis! Isso porque só estou citando aqui as que conheço pelas leituras que fiz. Não ilustrei aqui, mas recentemente conheci mais uma autora maravilhosa, a Karen Cleveland, que escreveu Preciso Saber (lançamento recente da Editora Planeta). Um bom mistério e uma narrativa angustiante não é mérito apenas dos homens não, viu?




Alwyn Hamilton, R. J. Palacio e Luize Valente


Como sinto que estou puxando o saco de um dos meus gêneros preferidos, vou citar agora três autoras igualmente incríveis. Essas três arrasadoras que escrevem fantasia, literatura infantil, drama também alegram com suas histórias cheias de aventuras, mensagens reflexivas e um toque chocante de realidade. Amo demais cada uma delas!




Julia Quinn e Mila Wander


E para finalizar, não menos importante, duas autoras que escrevem romances que amo. O romance romântico está muito presente na minha vida de leitora e de muitas outras por esse mundão! Ler romances não nos faz menos leitoras não, viu? Não deixe que ninguém te diga isso. Lemos muitas das vezes para fugir da realidade, suspirar e colecionar crushs literários (por que não? 😂). Então, sem preconceito, ok? 





Não poderia deixar o dia 8 de março passar em branco. É um dia importante! Mais do que uma data cheia de homenagens, buquês de flores... Ela não foi criada para o comércio, mas para lembrar as conquistas políticas e sociais das mulheres. Na verdade esse é um dia de luta! Uma luta que infelizmente ainda não terminou. Porém, evoluímos muito! Os problemas que antigamente eram aceitos, escondidos... hoje não aceitamos mais!

Foto: EPA / BBCBrasil.com




Um comentário:

  1. Olá Letícia
    Infelizmente ainda encontramos muitas pessoas com esse pensamento de séculos atrás. Uma das maiores provas de que as mulheres encontram muita dificuldade no mercado editorial é que nossa rainha Jhoanna Rowling foi instruída pelo seu editor a usar somente suas inicias para não desencorajar meninos a lerem sua história.
    A maior parte dos livros da minha estante são de autoras mulheres e o mais raro é encontrar um livro de romance romântico entre os tantos livros que tenho. Tem romance? Claro que tem? Escrito por mulher? Sim. As pessoas julgam de mais. Se um homem escrever um romance romântico (o que já deve ter acontecido, faz favor né mundo?) certeza que ele será criticado por escrever história "de mulherzinha"

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir