F

14 dezembro 2017

Thriller 'Matem o Presidente' e outras novidades do Grupo Editorial Record






Um plano para matar o presidente e um dilema moral unidos em um thriller explosivo.
Aquilo que ninguém acreditava aconteceu... Os Estados Unidos elegeram como presidente um homem instável, machista e demagogo, apoiado por seu implacável estrategista, Crawford McNamara. Quando uma guerra de insultos com o regime da Coreia do Norte foge do controle e leva o presidente a ordenar o lançamento de um ataque nuclear, o que coloca em risco o mundo inteiro, fica claro que alguém precisa agir antes que a humanidade seja reduzida a cinzas. Assim, quando Maggie Costello, uma experiente funcionária de Washington e fiel aos seus princípios — completamente opostos aos do atual presidente —, descobre um plano dentro da própria Casa Branca para matar o presidente dos Estados Unidos, ela se depara com um grande dilema moral: ela deve salvá-lo, deixando o mundo à mercê de um tirano desequilibrado, ou trair seu comandante em chefe e arriscar lançar o país em uma guerra civil?










Um livro urgente e oportuno, de uma das pensadoras mais influentes do nosso tempo. Da autora do best-seller Sem logo.
A tomada da Casa Branca por Donald Trump é um agravamento perigoso em um mundo de crises encadeadas. Sua agenda imprudente acarretará ondas de desastres e choques para a economia, a segurança nacional e o meio ambiente. A renomada jornalista, ativista e autora best-seller Naomi Klein passou duas décadas estudando choques políticos, mudança climática e a “tirania das marcas”. Dessa perspectiva singular, ela argumenta que Trump não é uma aberração, mas a extensão lógica das piores e mais perigosas tendências dos últimos cinquenta anos. Não basta, ela nos diz, meramente resistir, dizer “não”. Nosso momento histórico exige mais: um “sim” inspirador, digno de confiança, um guia para reivindicar o território populista daqueles que buscam nos dividir.













Ao mesmo tempo livro de relatos e reflexão geográfica e histórica, Rogério Haesbaert nos introduz aos múltiplos espaços que, em viagens ou no próprio cotidiano, desdobram-se depois — do Oriente (China, Índia, Vietnã...) ao Ocidente (Cuba, México, Colômbia...) —, em diferentes momentos ao longo dos últimos 25 anos. Os relatos começam por lugares distantes, envolvendo viagens que marcaram pela força de suas diferenças (como ao Tibete, a povoados do norte do Vietnã ou a aldeias de Madagascar), até chegar a espaços de morada e vivência cotidianos e pretensamente mais seguros, os quais nem por isso estão alheios à surpresa e ao inusitado que instigam o questionamento e a mudança. Este é um livro de crônicas, de memórias, de relatos mais espontâneos, muitos deles de viagens, de narrativas redigidas no calor das vivências, do contato direto com os outros e seus tantos lugares, da história presentificada e da geografia acumulada que, ao mesmo tempo que se anunciam, através da sua diversidade, também estão se/nos transformando.









Contos que nos aproximam de dramas amorosos e nos convidam a repensar.
Um cheiro de amor, reúne dezesseis contos, sendo uma mescla de memórias e histórias ficcionais. Divididos em narrativas sob a ótica de personagens masculinos e femininos, os contos abordam temas como juventude, velhice, fé e questões amorosas. Nestas pequenas narrativas, Christina aborda cenas típicas do dia a dia, passadas no Brasil e no exterior, com uma linguagem simples e com uma galeria de cenas típicas, e ainda assim individuais. E nas palavras de Mary del Priore “essa é a pequena mágica deste livro. Ele nos transporta, acalenta e sossega. É um ponto de encontro com situações do cotidiano que, acreditamos avistar. Ele nos aproxima de dramas amorosos, domésticos e familiares que, se de longe parecerem recorrentes, nos convidam a repensá-los.”















Uma parábola simples que revela verdades profundas sobre mudanças e que já vendeu mais de 1,5 milhão de exemplares só no Brasil.
Spencer Johnson criou uma história divertida e esclarecedora sobre quatro personagens – dois ratos e dois humanos do mesmo tamanho dos roedores que vivem em um labirinto, numa eterna procura por queijo, que os alimenta e os faz felizes.
O queijo é uma metáfora daquilo que se deseja na vida, seja um bom emprego, um relacionamento amoroso, dinheiro, saúde ou paz espiritual. O labirinto é o local onde as pessoas procuram por isso: a empresa onde se trabalha, a família ou a comunidade na qual se vive.
Nesta história, os personagens se deparam com mudanças inesperadas. Um deles é bem-sucedido e escreve o que aprendeu com sua experiência entre as paredes do labirinto. Suas palavras ensinam a lidar com a mudança para viver com menos estresse e ter mais sucesso no trabalho e na vida pessoal. Escrito para pessoas de todas as idades, Quem mexeu no meu queijo? é uma leitura rápida, mas que traz ensinamentos que vão permanecer por toda a vida.










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem-vindo ao meu blog.
Sua opinião é muito importante, mas se lembre que respeito é bom e eu gosto!
Seguiu? Deixa o link que eu sigo de volta. E também retribuo os comentários.

Obrigada por vir até meu cantinho!