F

06 julho 2017

Novidades Grupo Editorial Record | Julho (2017)







Evandro Affonso oferece ao leitor a possibilidade de encarar a miséria invisível que habita as almas e o cotidiano de nossas cidades Vítimas do abandono, cinco personagens sobrevivem nas ruas de São Paulo, entre ranhos e remelas, ao relento. Em suas conversas, gritos, tosses e divagações, cinco “ácaros topográficos” buscam o sentido da vida, denunciando o desdém geral dos transeuntes. Escritor premiado, Evandro Affonso Ferreira alcança, neste romance, um raro equilíbrio entre apuro literário, inovação linguística, reflexão filosófica e crítica social. Resistindo ao apelo das narrativas uniformizadas, que atualmente se confundem no vazio, Evandro tem pacientemente cultivado, ao longo de décadas, o próprio estilo. O resultado é único: uma voz contundente, ao mesmo tempo honesta e erudita, reconhecida pelo leitor desde as primeiras linhas, como ocorre nos maiores nomes de nossa literatura.














A polícia de Oslo precisa desesperadamente de Harry Hole. Mas, dessa vez, talvez ela não possa contar com seu detetive mais brilhante.... Ao longo dos anos, o inspetor Harry Hole esteve envolvido nos principais casos de assassinato em Oslo e salvou a vida de muitas pessoas. Mas, quando um assassino brutal ataca os policiais da cidade e seus colegas são expostos ao perigo, Harry não se encontra em posição de proteger ninguém – muito menos a si mesmo. Um investigador aposentado é assassinado de modo brutal em um bosque nos arredores da cidade; um detetive é morto com requintes de crueldade. Ambos são encontrados nos locais dos crimes que não foram capazes de solucionar. E o assassino não para por aí. Funcionando como uma força-tarefa, os amigos de Harry na polícia entram em ação. Apesar da falta de pistas, eles contam com uma ajuda inesperada para deter o assassino antes que seus colegas sejam as próximas vítimas.













Um livro essencial para entender a história política contemporânea brasileira. Trinta anos depois da Assembleia Nacional Constituinte de 1987-1988, que marcou a redemocratização brasileira, Luiz Maklouf Carvalho vai em busca das respostas para entender o que foi o período de vinte meses em que o país acompanhou a elaboração da chamada Constituição Cidadã, o que mudou desde aquela época e o que podemos aprender com a experiência. Por meio de 43 entrevistas exclusivas com os principais personagens da Constituinte — de José Sarney a Michel Temer —, o jornalista questiona, interroga, sacode o passado para que o encarem de frente, trazendo à tona conchavos, traições, ameaças e resistência, sem nunca esquecer o poder do povo, tão presente e fundamental.

















O premiado romance de François Mauriac sobre um triângulo amoroso improvável. O deserto do amor retrata o triângulo amoroso do doutor Paul Courrèges e seu filho adolescente, Raymond, pela mesma mulher: Maria Cross. Raymond, no auge dos seus 17 anos, encontra Maria Cross casualmente no bonde. Maria flerta com ele sem saber que o garoto é filho do seu estimado médico, Courrèges, desencantado com seu casamento e também apaixonado por ela.
Publicado em 1925, O deserto do amor mantem-se atual tratando de enfermidades e vícios, da surda inquietação da juventude, das tentações falazes da carne e do ciúme descortinado.















Um eletrizante thriller noir de ficção científica em adaptação para série do Netflix No século XXV, a consciência de uma pessoa pode ser armazenada em um cartucho na base do cérebro e baixada para um novo corpo quando o atual para de funcionar. A morte, agora, nada mais é que um contratempo inconveniente, uma falha no programa. Takeshi Kovacs, um ex-militar de elite, após sua última morte, tem sua consciência transportada a Bay City, a antiga São Francisco, e é trazido de volta à vida para solucionar o assassinato de um magnata. Isso só para descobrir que seu contratante é a própria vítima, que voltou à vida em um novo corpo, mas sem as memórias do crime. Mal sabe Kovacs, porém, que essa investigação irá lançá-lo no centro de uma conspiração perversa até para os padrões de uma sociedade que trata a existência humana como um produto a ser comercializado.













Um retrato emocionante da família moderna e uma deslumbrante história de amor. Sunny Mann idealizou uma vida em uma pacata cidade na Virgínia. Tem uma casa e amizades aparentemente perfeitas, e mesmo seu genial marido, Maxon, vem se esforçando para passar por um sujeito comum. Mas, quando um pequeno acidente de trânsito faz a peruca loira de Sunny sair voando pela janela, seu maior segredo é exposto. Ela não apenas é careca, como também está longe do estereótipo de esposa que tenta ser. À medida que sua fachada é desfeita, descobrimos o verdadeiro mundo dela, uma mulher em busca da vida perfeita, e de seu marido. À beira da separação, Maxon, um astronauta, parte para a lua, encarregado de programar robôs que irão construir a incipiente colônia, mas, assim como o acidente de trânsito deu à Sunny uma nova perspectiva acerca do que realmente importa, um desastre envolvendo o foguete dele ameaça tudo que ambos construíram, revelando segredos há muito tempo escondidos.












Uma dança sutil entre a paródia e a sátira, com uma mistura vigorosa de contos de fadas para apimentar. Quando crianças, Maria e seu irmão João caíram nas garras de uma bruxa em uma casa feita de doces. Passados alguns anos, a jovem tornou-se a detetive particular número um de toda a Baviera. E é justamente isso que a transforma na principal candidata para encontrar as gravuras de sapos, que desapareceram misteriosamente da casa do herdeiro do ilustre pintor Albrecht Dürer. Em meio a um festival gastronômico que promete movimentar toda Nuremberg, Maria precisará usar toda a sua inteligência para desvelar a verdade — pois nem tudo na cidade é o que parece, e mesmo os círculos mais elegantes têm seus segredos sórdidos...















Em Raízes do conservadorismo brasileiro, o autor aponta caminhos capazes de elucidar por que o Brasil é um país em débito com a própria história. Livro essencial para quem deseja entender como o racismo está na base da construção do Brasil. O debate racial vem ganhando espaço nas redes sociais e no cinema Flip 2017 tem como homenageado Lima Barreto, escritor negro. O Brasil foi cobrado pela ONU para intensificar o combate à desigualdade e à discriminação contra a população negra Juremir Machado da Silva é escritor, tradutor, jornalista e professor universitário. Foi condecorado Chevalier de l’Ordre des Palmes Académiques, pelo governo francês, em 2008, e venceu o 2º Prêmio Brasília de Literatura com a obra Jango: a vida e a morte no exílio, em 2014.






















Encontre a editora:




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem-vindo ao meu blog.
Sua opinião é muito importante, mas se lembre que respeito é bom e eu gosto!
Seguiu? Deixa o link que eu sigo de volta. E também retribuo os comentários.

Obrigada por vir até meu cantinho!