F

19 junho 2017

Resenha | Amor à moda antiga

Título: Amor à moda antiga
Autor: Fabrício Carpinejar
Editora: Belas Letras
Gênero: Poemas
Páginas: 104
Ano: 2016
Skoob

(Cortesia da editora)

Sinopse: Em seu aniversário de 43 anos, Fabrício Carpinejar ganhou de presente uma velha máquina de escrever Olivetti Lettera 82 verde-esmeralda. Desde esse dia, ele se dedica a escrever nela poemas de amor e a guardá-los como um inventário de seus sentimentos e emoções ao longo de sua carreira. Pela primeira vez, a Belas-Letras publica esses poemas exatamente como os originais foram enviados à editora, em maços de papel despachados pelos Correios, sem nenhum tipo de correção ortográfica, edição ou retoques, inclusive com as próprias anotações à mão feitas pelo próprio Carpinejar. Todos os textos de Amor à Moda Antiga (inclusive este) foram originalmente escritos em máquina de escrever. O resultado é um livro orgânico, singelo e apaixonadamente imperfeito, exatamente como o amor é. 


Gosto muito dos livros do Carpinejar, mas até então só havia lido suas crônicas. Amor à moda antiga, da Editora Belas-Letras traz inúmeros poemas escritos pelo autor em uma velha máquina de escrever que ganhou de aniversário.


O interessante do livro é que intencionalmente os textos estão exatamente como Carpinejar entregou para a Editora, sem revisão ou qualquer outro tratamento. Até mesmo as correções feitas à mão por Carpinejar estão presentes nessas páginas. Eu adoro isso! Ainda mais se tratando de poemas, de palavras sobre o amor. Isso torna tudo mais verdadeiro e belo. 


Nesse livro seus poemas falam de amor e emoções. São bem poucos, mas gostosos de ler. A maioria possui apenas algumas linhas, portanto, a leitura é bem rápida. Apesar de terminarmos o livro em menos de uma hora, é possível você desejar relê-lo quando quiser. Adoro ter esse tipo de livro na estante! 

O que torna a leitura ainda mais comoda é o trabalho gráfico da Editora. Gente, estamos falando da Belas-Letras, né? Como você acha que esse livro é? Lindo! A começar pela capa dupla, que na verdade é totalmente branca, mas tem esse acabamento por cima. Todas as páginas que não estão escritas são de um tom de verde claro. Morrendo de amores por essa diagramação!


Não há muito o que descrever do livro, pois será necessário que você desfrute das emoções de Carpinejar em forma de poemas. Alguns você pode até se identificar, outros não compreender. Faz parte da natureza dos poemas. Mas uma coisa é certa: se você já aprecia os livros do autor, precisa ter esse na estante.

Compare e compre: Buscapé








Gostou do livro? Comprando o livro através dos links dessa postagem você contribui com o Livros, vamos devorá-los.

3 comentários:

  1. O livro é lindo! A capa uma coisa fofa!
    Não conhecia o autor. Infelizmente não leio poemas. Não gosto ou não entendo. Ainda não sei identificar qual o problema em mim. Talvez não tenha ainda o espirito tão evoluído.. rs.
    Mas mesmo assim, vou anotar a dica. Quem sabe um dia?! rs
    beijinhos!

    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi, tudo bem?
    Não acompanho o trabalho do Capinejar e não tenho vontade apesar das boas recomendações.
    Este livro acho lindo e adoro o fato de terem usado os escritos em máquina de escrever para compor o livro.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?
    Confesso que não tenho costume de ler livros de poemas, mas achei a capa extremamente fofa e delicada. Pelas suas fotos da para perceber pq você ficou tão apaixonada pela diagramação!!
    bjs!!

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo ao meu blog.
Sua opinião é muito importante, mas se lembre que respeito é bom e eu gosto!
Seguiu? Deixa o link que eu sigo de volta. E também retribuo os comentários.

Obrigada por vir até meu cantinho!