F

27 abril 2017

Triângulos amorosos nos livros históricos (bom ou ruim?)



Triângulos amorosos em livros divide a opinião dos leitores no mundo todo. Confesso que é algo que não me agrada tanto em romances, mas sempre têm as exceções, não é mesmo? Quando um triângulo amoroso é bem desenvolvido ele pode agradar, por que não?

Hoje vim falar de três romances históricos que amei e que possuem um triângulo amoroso. Claro que todos eles têm algo de doloroso, mas e se pensarmos que ele também existe fora da ficção? 




Romance histórico fictício...👍

Em Esposas & Filhas (resenha) fica claro a nossa torcida pela Molly, uma mocinha meiga e que ama verdadeiramente Roger. Mas o que acontece é que ele se apaixona por sua meia irmã Cynthia, e ela, como o leitor irá perceber ao longo da leitura, não está verdadeiramente apaixonada por ele, mas aceita noivar por um motivo (que claro não vou contar). A tadinha da Molly sofre muito, mas não tenta atrapalhar. Alias, ela é um doce de protagonista! Torci por Molly, pois Cynthia era uma desmiolada e egoísta, mesmo que não tenha odiado ela. 

O fato é que em Esposas & Filhas não encontramos um triângulo amoroso tão previsível quanto possa se pensar. Molly é a candidata mais favorável para a torcida do leitor, mas o livro é bem extenso e Roger parece estar cada dia mais caidinho por Cynthia. Torci tanto, pois parecida que o final feliz de Molly nunca chegaria. E, afinal, de uma forma ou outra nunca chegou (calma, isso não é spoiler). O problema é que a autora faleceu antes de terminar a história e nunca vamos ter um desfecho para esses personagens. Porém, nem tudo está perdido, pois temos uma mudança na vida dos protagonistas (ainda escrito pela autora) e também uma nota maravilhosa do editor da revista em que os capítulos do livro eram publicados. Nela vamos ver qual era o final que Elizabeth Gaskell escreveria, e é lindo! Isso me contentou, afinal!




Romance histórico não fictício...👍

Pois é, triângulo amoroso e dos grandes, não existe somente na ficção não. Beije-me onde o sol não alcança (resenha) nos apresenta um triângulo amoroso dos mais dolorosos, aquele em que há traição. O triângulo aqui nada mais é do que entre um conde russo, uma baronesa do café e uma ex-escrava do século XIX. Nicota se casa com Maurice Haritoff, um russo que estava a procura de uma esposa para aumentar sua fortuna. Ele começa a gostar da vida de casado, sente algo por Nicota e tudo mais, porém, a carne não aguentou às tentações de uma ex-escrava que vivia na casa, Regina Angelorum. 

Aqui nem há como dizer se o triângulo agradou ou não, por ter sido bem desenvolvido pela autora. Afinal, o livro é resultado de uma extensa pesquisa para trazer essa história verídica e que foi escândalo nos Oitocentos no Brasil. De fato uma história para aquele leitor mais curioso, que adora obras com um teor histórico e muita polêmica. O livro vale a pena pelos sentimentos revelados através de cartas verídicas, e por mostrar, através de algo que realmente aconteceu, quantas esposas já sofreram com seus maridos que tomavam outras mulheres como amantes. Digo isso, porque viviam em uma sociedade onde não poderiam se divorciar. Tenso demais, e vale a pena a leitura!




Ficção com realidade...👍

E quando a ficção se mistura com a realidade? Existem aqueles livros que possuem um romance entre três que são extremamente instigantes. Estou falando de Sra. Poe (resenha), escrito por Lynn Cullen. Aqui temos, digamos que um pouco da biografia do aclamado poeta Edgar Allan Poe, mesclado a um pouco de ficção e das mais sinistras. Edgar Poe teria tido um romance fora do casamento com a poetisa Frances Osgood. Alguns eventos que realmente ocorreram na época são narrados, e o lado mais fictício ficou por conta das reações de Virginia, a esposa de Poe, diante do romance clandestino do marido.

O interessante aqui é que a autora misturou muito bem a ficção com a realidade. A Sra. Poe é super sinistra, que medo dessa mulher! Mas quem ficou com mais medo ainda foi a Frances, que se culpava por amar um homem casado, mas desejava no cantinho mais íntimo e sombrio do seu coração, que a doença da Sra. Poe a desfalecesse de vez. Se sentia culpada duplamente. Todo esse escândalo real da época e todas as ironias sinistras que Virginia dizia para a Frances, tornou o livro tão estranho e sombrio quanto os contos de Poe. O livro consegue ser sombrio e belíssimo ao mesmo tempo. E creio ser justamente isso que a autora quis passar. E de fato conseguiu! Está aí um triângulo amoroso dos bons!







Leia também...



5 comentários:

  1. Eu não sou muito fã de romance com triângulo amoroso, mas tem alguns que são bons. Acho que o que basta é ser bem escrito e não ficar forçado.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
  2. Triângulo amoroso é bem comum né? Eu gosto quando é uma coisa sólida, quando não tem aquele drama em que a mocinha fica indecisa e cada dia está com um kkk aí eu acho chato, fora isso gosto ♥️

    MEMÓRIAS DE UMA LEITORA

    ResponderExcluir
  3. Depois do seu post percebi que ainda não li livros com triangulos amorosos... Eu tenho certeza que odiaria o pivô, tanto masculino quanto feminino que entrasse no romance duo pra estragar tudo hehehe

    http://obaucultural.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá, Letícia.
    Que eu me lembre nunca presenciei algum triângulo amoroso em um livro histórico.
    Adorei conhecer os livros e me interessei bastante pelo último!

    ResponderExcluir
  5. Triangulos amorosos sempre são uma constante na maioria dos livros - e normalmente eu curto, embora em muitos dos casos ache super desnecessário. das obras citadas, só conhecia (de nome) o livro da Mary, que me faz ter uma certa vontade de ler, mas saber um pouquinho mais sobre os outros atiçou minha curiosidade...
    Vou procurar por eles e ver mais algumas opiniões, mas é bem provavel que entrem na lista de leituras :)
    Beijinhos,
    Lica

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo ao meu blog.
Sua opinião é muito importante, mas se lembre que respeito é bom e eu gosto!
Seguiu? Deixa o link que eu sigo de volta. E também retribuo os comentários.

Obrigada por vir até meu cantinho!