F

25 abril 2016

Top 5 | Livros e Filmes para chorar


Se tem uma leitora manteiga derretida, sou eu. Choro nos livros, nos filmes, enfim, na vida. Mas, claro, não é para tanto, pois nem todos os livros me fazem nadar em um mar de lágrimas. Hoje o post traz dicas de livros que me fizeram chorar, e mesmo que não faça o mesmo com você, são no mínimo comoventes.


LIVROS

Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Sua vidinha ainda inclui o trabalho como garçonete num café de sua pequena cidade - um emprego que não paga muito, mas ajuda com as despesas - e o namoro com Patrick, um triatleta que não parece muito interessado nela. Não que ela se importe. Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor tem 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de ter sido atropelado por uma moto, o antes ativo e esportivo Will agora desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Sua vida parece sem sentido e dolorosa demais para ser levada adiante. Obstinado, ele planeja com cuidado uma forma de acabar com esse sofrimento. Só não esperava que Lou aparecesse e se empenhasse tanto para convencê-lo do contrário. Uma comovente história sobre amor e família, Como eu era antes de você mostra, acima de tudo, a coragem e o esforço necessários para retomar a vida quando tudo parece acabado.

Como eu era antes de você - Não é spoiler, portanto, novidade para ninguém, que o livro tem um final triste e um enredo comovente. Esse livro mexeu comigo de tal forma que fiquei boba ao virar a última página e as lágrimas vieram de verdade. Para quem não tem medo de sofrer em leituras, essa é uma das minhas dicas.



Talvez a melhor obra dentre todas as narrativas sobre a vida de um escravo, 12 anos de escravidão é um livro de memórias angustiante sobre um dos períodos mais sombrios da história norte-americana. Ele relata como Solomon Northup, nascido um homem livre em Nova York, foi atraído para Washington, D.C., em 1841, com a promessa de um emprego, e então drogado, espancado e vendido como escravo. Ele passou os doze anos seguintes de sua vida em cativeiro, trabalhando, na maior parte do tempo, em uma plantação de algodão na Louisiana. Após seu resgate, Northup escreveu este registro excepcionalmente vívido e detalhado da vida escrava. Tornou-se um sucesso imediato e, hoje, é reconhecido por sua visão incomum e eloquência, como um dos poucos retratos da escravidão americana, redigido por alguém tão culto quanto Solomon Northup - uma pessoa que viveu sua vida sob a óptica de uma dupla perspectiva: ter sido tanto um homem livre como um escravo.


12 anos de escravidão - A leitura desse livro foi muito tensa, pois tudo que envolve escravidão geralmente é assim. Solomon narra os momentos com sua verdade nua e crua, e me emocionei em vários momentos, tamanha é a crueldade que pode chegar o ser humano. Alguns momentos tive que parar a leitura e recuperar o fôlego.




Na primavera de 1984, os estudantes Amanda Collier e Dawson Cole se apaixonaram perdidamente. Embora vivessem em mundos muito diferentes, o amor que sentiam um pelo outro parecia forte o bastante para desafiar todas as convenções de Oriental, a pequena cidade em que moravam. Nascido em uma família de criminosos, o solitário Dawson acreditava que seu sentimento por Amanda lhe daria a força necessária para fugir do destino sombrio que parecia traçado para ele. Ela, uma garota bonita e de família tradicional, que sonhava entrar para uma universidade de renome, via no namorado um porto seguro para toda a sua paixão e seu espírito livre. Infelizmente, quando o verão do último ano de escola chegou ao fim, a realidade os separou de maneira cruel e implacável. Vinte e cinco anos depois, eles estão de volta a Oriental para o velório de Tuck Hostetler, o homem que um dia abrigou Dawson, acobertou o namoro do casal e acabou se tornando o melhor amigo dos dois. Seguindo as instruções de cartas deixadas por Tuck, o casal redescobrirá sentimentos sufocados há décadas. Após tanto tempo afastados, Amanda e Dawson irão perceber que não tiveram a vida que esperavam e que nunca conseguiram esquecer o primeiro amor. Um único fim de semana juntos e talvez seus destinos mudem para sempre.

O melhor de mim - Chorei, só não sei se de raiva ou de tristeza mesmo. Os finais de Nicholas Sparks são previsíveis quando o assunto é devastar nosso coração. Mesmo assim, ainda tinha esperança de um final diferente. Foi impossível conter as lágrimas.





Para Paul, a vida se tornou uma sucessão de obstáculos. Abandonado pela esposa, o pai acaba de sofrer um derrame, sua nova namorada está indecisa entre ele e outro homem e ele se vê obrigado a lidar com questões familiares antigas, coisas que adiou até agora, mas terá de finalmente enfrentar. Por outro lado, ele ainda conta com 3 sustentações em sua vida - as doses no Bay State Bar, seu novo par de tênis (que o lembra de fazer exercícios), e finalmente Stella, sua grande amiga e companheira, que lhe dá sábios conselhos, que não o julga, e lhe dá amor incondicional. Porém, Stella não o acompanha em seu bar favorito. Stella é sua cachorra idosa, uma mistura de Labrador com Shepherd, e ela conhece Paul mais do que ele próprio.




Queria que estivesse aqui - Um dos livros que mais chorei até hoje. O título do livro parece já ser um spoiler do que vai acontecer, mas na verdade tem muito a ver também com o protagonista e seus anseios, do que só com a cadela dele. Mas tem cachorro, tem choro. Leiam, é bom demais!






Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra um misterioso pacote com várias fitas cassetes. Ele ouve as gravações e se dá conta de que foram feitas por uma colega de classe que cometeu suicídio duas semanas antes. Nas fitas, ela explica que 13 motivos a levaram à decisão de se matar. Clay é um deles. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.








Os 13 porquês - Não é um livro para chorar horrores, mas bate aquela emoção quando você acompanha a vida da protagonista, e passa a entender seus motivos. Não concordei nenhum pouco com o que ela fez, mas dá para sentir como deve ser sofrer o bullying. Contudo, como ajudar alguém que não quer ser ajudada?





FILMES

Eu poderia falar de Titanic, Marley & Eu, Armagedon, e tantos outros tão conhecidos que fazem quase todo mundo chorar, mas para não ficar batido, existem outros que também valem a pena para quem gosta de filmes emocionantes. 





Ao completar 21 anos, Tim (Domhnall Gleeson) é surpreendido com a notícia dada por seu pai (Bill Nighy) de que pertence a uma linhagem de viajantes no tempo. Ou seja, todos os homens da família conseguem viajar para o passado, bastando apenas ir para um local escuro e pensar na época e no local para onde deseja ir. Cético a princípio, Tim logo se empolga com o dom ao ver que seu pai não está mentindo. Sua primeira decisão é usar esta capacidade para conseguir uma namorada, mas logo ele percebe que viajar no tempo e alterar o que já aconteceu pode provocar consequências inesperadas.

Questão de tempo - Não poderia faltar esse filme aqui. Qualquer coração se derrete nesse final. Ele traz uma mensagem linda sobre valores, e acima de tudo, o valor da família. Nos pega a refletir sobre as mudanças da vida e como temos que conviver e aceitá-las, afinal não podemos mudar o passado, tampouco o futuro. Recomendadíssimo! 







Em 1989, uma família de baleias ficou presa sob o gelo do Ártico e o repórter Adam Carlson (John Krasinski) não se conformava com a situação. Disposto a mudar essa realidade, ele começa uma verdadeira batalha ao lado de Rachel Kramer (Drew Barrymore), ativista do Greenpeace, para salvar os animais, da espécie baleia-cinzenta. Juntos, eles conseguem mobilizar pessoas de variados grupos, como os nativos da região, funcionários de empresas petrolíferas e até americanos e russos, históricos inimigos durante a Guerra Fria.






O grande milagre - Gente, que filme lindo e emocionante! Primeiro porque é um longa baseado em fatos reais, e segundo porque tem uma família de baleias em perigo. Só isso já é suficiente para me emocionar.



Ted Narracot (Peter Mullan) é um camponês destemido e ex-herói de guerra. Com problemas de saúde e bebedeiras, batalha junto com a esposa Rose (Emily Watson) e o filho Albert (Jeremy Irvine) para sobreviver numa fazenda alugada, propriedade de um milionário sem escrúpulos (David Tewlis). Cansado da arrogância do senhorio, decide enfrentá-lo em um leilão e acaba comprando um cavalo inadequado para os serviços de aragem nas suas terras. O que ele não sabia era que seu filho estabeleceria com o animal um conexão jamais imaginada. Batizado de Joey pelo jovem, os dois começam seus treinamentos e desenvolvem aptidões, mas a 1ª Guerra Mundial chegou e a cavalaria britânica o leva embora, sem que Albert possa se alistar por não ter idade suficiente. Já nos campos de batalha e durante anos, Joey mostra toda a sua força e determinação, passando por diversas situações de perigo e donos diferentes, mas o destino reservava para ele um final surpreendente.

Cavalo de guerra - Outro filme extremamente emocionante. Um cenário de guerra, uma amizade verdadeira entre um homem e um cavalo, e uma inevitável separação. Gente, quem ainda não assistiu, por favor, assistam!






Pouco antes do bombardeio japonês em Pearl Harbor, dois amigos que são como irmãos um para o outro se envolvem de maneira distinta nos eventos que fazem com que os Estados Unidos entrem na 2ª Guerra Mundial. Enquanto que Rafe (Ben Affleck) se apaixona pela enfermeira Evelyn (Kate Beckinsale) e decide se alistar na força americana que lutará na 2ª Guerra Mundial, em Londres, Danny (Josh Hartnett) torna-se piloto da Força Aérea dos Estados Unidos e permanece no país. Após a notícia de que Rafe morrera em um dos combates que travava contra os alemães, Danny e Evelyn se aproximam e terminam se apaixonando.








Pearl Harbor - Esse longa conta um episódio importante da história da humanidade: quando o Japão atacou a costa da cidade de Pearl Harbor, nos EUA, pegando-os totalmente desprevenidos. Não sou a favor de nenhum dos dois países, mas imaginar as consequências de uma guerra com as imagens extremamente fortes desse filme, foi de arrepiar.








Parker Wilson (Richard Gere) é um professor universitário que, ao retornar do trabalho, encontra na estação de trem um filhote de cachorro da raça akita, conhecido por sua lealdade. Sem ter como deixá-lo na estação, Parker o leva para casa mesmo sabendo que Cate (Joan Allen), sua esposa, é contra a presença de um cachorro. Aos poucos Parker se afeiçoa ao filhote, que tem o nome Hachi escrito na coleira, em japonês. Cate cede e aceita sua permanência. Hachi cresce e passa a acompanhar Parker até a estação de trem, retornando ao local no horário em que o professor está de volta. Até que um acontecimento inesperado altera sua vida.





Sempre ao seu lado - Esse está no topo da lista e é o clássico dos clássicos quando o assunto é chorar. Acredito ser totalmente impossível alguém ter assistido esse filme sem derramar uma lágrima. Chorei do início ao fim e dificilmente vou ver esse filme de novo, de tanto que ele é devastador.



E então, qual livro ou filme fizeram vocês chorarem mais?


14 comentários:

  1. 12 anos de escravidão é um livro que eu estou devendo a leitura. Tenho a obra, mas acabo esquecendo-a na estante. O pior é que eu sei que é um livro incrível.
    Adoro Pearl Harbor, mas confesso que não chorei. rs

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de abril. Serão três vencedores!

    ResponderExcluir
  2. De tudo que indicou, só assisti Sempre a seu lado e choro muito sempre que o assisto. Chorei horrores lendo Diário de uma paixão, Uma vida para sempre e muitos outros. Sou chorona também. Filme é ainda mais fácil encontrar os que me azem chorar. Choro até com animação. Meu marido fica olhando pra mim pra ver se estou chorando kkkk.
    Beijos

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
  3. Olá Letícia, tudo bem?
    Adorei o post, toda vez que assisto SEMPRE AO SEU LADO, choro muito, vc já assistiu o filme UM ATO DE CORAGEM e MÃOS TALENTOSAS? Se vc nunca assistiu, assista, eles são lindos e tristes!!!
    PS: Segui meu blog (Por Favor)
    http://my1life2in3books.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. meu Deus, eu ja to de olhos cheios de lágrimas só de lembrar! Pearl harbor é um dos meus filmes favoritos adorei suas escolhas porque eu amo um livro/ filme triste

    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Gentí Pearl Harbor é deprimente. Tenho uma amiga que se recusa assistir esse filme. Adoro ele.
    Big Miracle é lindo.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  6. Oi, Leticia! Eu tenho muita dificuldade para chorar com livros. Fiquei com o coração partido quando terminei de ler "Como eu era antes de você", mas não chorei. Acho que o filme vai fazer as lágrimas, enfim, caírem. "Questão de tempo" também me emocionou muito. Que filme lindo!


    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  7. Oi.
    Dos livros eu já li (e chorei muito) Como eu era antes de você, os outros ainda não tive a oportunidade de ler. Quanto aos filmes já assisti "Pearl Harbor" e "Sempre ao seu lado", foram dois filmes muito emocionantes. Adorei as dicas!

    ResponderExcluir
  8. Olá !! Adorei o Top 5, posso ser meio louca,mas adoro livros e filmes que façam chorar e expurgar tudo o que estou sentindo.

    Dos livros só li Como Eu Era Antes de Você , já na lista de filmes amei e chorei com Big Miracle , Sempre ao seu lado e Pearl Harbor.

    bjsss

    Apaixonadas por Livros

    ResponderExcluir
  9. Nossa você escolheu ótimos títulos para essa postagem, tanto de livros quanto de filmes. Já me emocionei com alguns dos citados e confesso que hoje em dia evito ler livros e ver filmes assim; mas de vez enquanto vale a pena testar as emoções.
    Tenho o livro Queria que estivesse aqui a tanto tempo, mas ainda não li. Não sabia que ele era um livro para chorar.
    Tenho vontade de ler 12 anos de escravidão, mas como vc mesma destacou tudo relacionado a esse fato histórico toca minhas emoções. Hoje em dia estou vendo a novela Liberdade Liberdade, que por sinal está maravilhosa e em algumas cenas fico bem tocada.
    Enfim parabéns pela postagem!!!

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
  10. Olá, Letícia!
    Poucos dos livros e filmes citados eu conheço, mas alguns pretendo ler e ver. Adoro os que nos fazem emocionar haha Sempre choro quando assisto "Sempre ao Seu Lado" haha Ótimo post!
    Beijos, Garota Vermelha
    www.livrosdagarotavermelha.wordpress.com

    ResponderExcluir
  11. Olá! Adorei a ideia desse post e concordo com você sobre algumas escolhas! Como eu era antes de você dispensa comentários, é um dos meus livros favoritos e acho que no filme vou derreter! 12 anos de escravidão assisti apenas o filme e já chorei, imagino no livro! O melhor de mim me deixou abaladíssima tanto no livro quanto no filme, principalmente no final dele! Os 13 porquês já não me deixou tão emocionada, não me identifiquei com o enredo nem com a forma de Hannah agir. Sempre ao seu lado é um dos meus filmes favoritos! Os demais ainda não li/assisti e vou procurar para adicionar à lista, pois adoro obras que me fazem chorar.
    Beijos!

    Karla Samira
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi Lê...
    Amei a ideia de sua postagem... acho que vou pegar emprestado a ideia apenas para os livros posso?
    Eu curti muito as suas escolha, embora não conheça a leitura e o filme de todos... eu não tenho vontade de ler nada da Jojo, mas confesso que quero muito assistir o filme e tenho certeza de que vou chorar.
    12 anos de escravidão.. é um livro que eu também não leria, mas o filme eu ainda quero assistir... porque o ator principal eu gosto muito e ele atua bem... e somente pelo trailer tenho certeza que vou chorar horrores rs.... Agora os 13 porques eu quero muito ler... a temática me chama bastante atenção por ser infelizmente um tema atual que acontece sempre e todos os dias...
    Eu assisti Questão de Tempo é lindo... assisti 3 vezes e adorei... ele é simples, mas é lindo e os atores são perfeitos em seus papéis... xero!

    ResponderExcluir
  13. oi Letícia, tudo bem?
    Adorei o top, e tem alguns livros e filmes aí dos quais corro justamente porque não quero chorar. Acho que não vou assistir Sempre ao seu lado NUNCA na vida, porque além de triste, é triste com cachorro, kkkk. Estou louca para ler Os 13 Porquês, e vou ler Como eu era antes de você antes de lançar o filme
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo ao meu blog.
Sua opinião é muito importante, mas se lembre que respeito é bom e eu gosto!
Seguiu? Deixa o link que eu sigo de volta. E também retribuo os comentários.

Obrigada por vir até meu cantinho!