F

16 março 2016

Resenha - Pode beijar a noiva

Título: Pode beijar a noiva
Autora: Patricia Cabot
Editora: Essência
Páginas: 240
Gênero: Romance de época
Ano: 2016
Edição:
Skoob

(parceria com a editora)
Sinopse: Quando tudo parece estar perdido para Emma Van Court, que acaba de se tornar viúva, a promessa de uma grande fortuna lhe cai dos céus. Mas há uma condição para abocanhar a herança: ela terá de se casar novamente. Como não se especificou o noivo, todos os homens da pequena Faires, na Escócia, resolvem participar dessa corrida do ouro e passam a disputar as atenções da jovem viúva. Os competitivos pretendentes só não contavam com a presença de James Marbury, primo do falecido marido, Stuart, que chega ao vilarejo para ajudar Emma com os trâmites do inventário. No passado, os dois tiveram uma aproximação, e James ainda nutre fortes sentimentos pela, agora, viúva. Conseguirá ele afastar a horda de interesseiros pretendentes e finalmente se juntar à sua amada?



Pode beijar a noiva é o primeiro livro que leio da autora Meg Cabot, que nessa obra escreve como Patricia Cabot, seu pseudônimo. Dizem que a autora escreve de maneira singular ao usar os dois nomes, mas posso afirmar que escrevendo com seu pseudônimo, ela arrasou. Pode beijar a noiva é uma publicação do Selo Essência (Editora Planeta), e está em sua segunda edição com essa capa linda. 

Cabot nos apresenta Emma Van Cout, uma jovem órfã, que fora criada por seus tios ricos e praticamente junto com os primos Stuart e James. Desde criança, Emma tem fascínio por Stuart, sua vocação para a igreja e suas intenções de estar sempre ajudando os menos favorecidos. James, por sua vez, era o oposto do primo e vivia entrando em confronto com Emma. Quando Emma anuncia seu desejo de casar-se com Stuart, não apenas a família desaprova, como James fica enfurecido. Como era inevitável, os dois fogem para se casar e viver em Faires, uma pequena cidade longe de Londres, onde poderiam cumprir a missão que Stuart sempre sonhara - ajudar os pobres. 

Por uma infelicidade do destino, Stuart falece deixando Emma viúva em poucos meses depois do matrimônio. Ao ficar sabendo, meses depois do ocorrido, James vai para Faires a fim de buscar o corpo do primo falecido e encontra o que não imaginava - a viúva ainda morando no local, e com uma herança para receber, mas com a condição de casar-se novamente. Com isso, Emma tem inúmeros pretendentes, mas nenhuma intenção de unir-se a algum deles. James, então, terá que ajudá-la nesse requisito...


Cabot escreve maravilhosamente bem, com uma narrativa em terceira pessoa e nos envolvendo a cada virada de página. Sua escrita é ágil e simples, o que nos faz devorar o livro em um dia. Com uma obra recheada de diálogos e descrições comportamentais da época, a autora me conquistou com a criação da trama. 

O que mais gostei no livro, além da escrita ágil, foi o perfil de seus personagens. O fato de Stuart querer seguir a carreira de cura, e Emma desejar acompanhá-lo como esposa, rendeu um ar cômico e ao mesmo tempo trágico no enredo. Nossa mocinha foi atraída por essa devoção dele em querer sempre fazer o bem e servir a igreja. E Emma realmente acreditava que o amava por isso. Ao contrário, James era mais frio e parecia ter um coração rude, apesar de ser sempre ele que desde criança acalentava Emma quando ela precisava. Essas personalidades distintas dos primos irão animar a história e render momentos de reflexão em nossa personagem. Tenho que dizer que gostei ainda mais da construção de James, do que de Emma, e a forma com que ele demonstrava sutilmente seus sentimentos.


A única coisa que senti falta no desenvolvimento da obra, foi o crescimento dos sentimentos de Emma. Temos, em toda a narrativa, os mais íntimos pensamentos dos personagens, principalmente da viúva, mas sentimos o afeto de James muito mais do que sentimos o dela. Gostaria de ler uma melhor descrição do crescimento do afeto de Emma, e não apenas ver que ela simplesmente constatou as diferenças gritantes entre os primos. Pode-se dizer que o leitor desfrutará de algumas demonstrações de afeto, às vezes, discretas, e poucas vezes intensa. 

Fora esse detalhe, que não tira a qualidade da obra, a trama, apesar de previsível, teve um toque especial de mistério, e que só foi revelado nas últimas páginas. Isso foi o que mais me surpreendeu, pois não imaginava esses segredos que estavam por trás da morte de Stuart. Além disso, a obra de Cabot é levemente romântica o suficiente para fazer o leitor suspirar. Há algumas cenas sensuais, mas sem vulgaridade, que fizeram todo o livro valer a pena (isso não significa que recomendaria para menores de 18 anos).

"Nos braços de James, com o rosto a centímetros do dele, Emma fitou-o com olhar arregalado. E naqueles olhos, azul-escuros como o oceano, James enxergou uma emoção que o deixou desorientado e excitado. Acanhamento. Emma, por algum motivo, estava com vergonha. Dele." (p. 142)

Somado aos elogios, temos uma diagramação perfeita nessa segunda edição, onde a capa me agradou muito, apesar de achar que a outra era igualmente linda e, o título, por sua vez, é muito adequado. As folhas são amareladas, fontes grandes, revisão impecável - tudo preparado para uma leitura confortável.

Portanto, para os fãs de romance de época ou de uma leitura leve, divertida, com uma pitada de romantismo e mistério, eu recomendo Pode beijar a noiva. Não é um romance intenso, mas não deixa de ser apaixonante, principalmente depois que você conhece James. 

Comprar: Saraiva | Submarino | Americanas | Livraria da Travessa



Capa da 1ª edição



28 comentários:

  1. Adorei quando soube que relançaram os livros Aprendendo a Seduzir e Pode Beijar a Noiva, nunca li nenhum livro da autora como Meg nem Patricia Cabot. Gostei da resenha desse livro, adoro romances de época, pretendo ler.

    ResponderExcluir
  2. Olá, que lindo ❤ tenho muita vontade de ler um livro da Meg, ainda estou escolhendo um para ser o primeiro. Sinto que vou amá-la, parece ser muito fofa.
    Resenha ❤ Blog Cupcakeland

    ResponderExcluir
  3. Olá, Leticia.
    O livro realmente parece ter uma leitura bem leve e nada surpreendente, o que torna ideal para ler entre duas obras mais densas.
    Não sei se seria uma obra entre as minhas primeiras opções, até porque é meio previsível, mas certamente vou considerar a leitura após essa resenha bem positiva.
    Ótima dica.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de reinauguração. Serão quatro vencedores!

    ResponderExcluir
  4. Ai gente, que vontade de ler esse livro. E a capa dessa segunda edição está mais bonita que a primeira *-*. Ainda não li nenhum livro da Meg, e esse parece ser um ótimo livro pra começar. Acho que vou gostar muito, já que sou apaixonada por romances de época. beijo :)

    ResponderExcluir
  5. Você já leu outro livro, sem ser o pseudônimo da autora? Queria saber se tem alguma diferença ou se a escrita é parecida.
    Não sou muito fã de romance de época, nunca li, porque acho que não vou gostar da leitura. Mas fiquei bem curioso pela história, e também por você ter elogiado tanto e ser uma leitura leve, acho que isso me incentiva a ler.
    https://nerdbookblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem?
      Ainda não li outro livro dela, nem como Meg mesmo, mas como cheguei a citar na resenha, pelo que as pessoas falam ela tem uma escrita distinta em cada nome.

      Excluir
  6. Olá Leticia!
    Pela sua resenha, o livro tem tudo o que eu aprecio nesses romances, além do fato de nos fazerem suspirar por tamanha doçura e a leveza na hora de demonstrar sensualidade. Adoro isso!
    Estou louca para conferir as obras da Meg/Patrícia, acho que irei amar.

    umreinomuitodistante.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá Letícia!

    Gostei muito da sua resenha, sobre a obra no momento não pegaria para ler, não gosto de romances, não está entre minhas preferências, mas indicaria para amigas. Achei as fotos muito bonitas, está de parabéns pelo post. www.sagaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  8. Gosto muito desse tipo de romance, achei legal, sem falar que a capa da primeira e da segunda edição me chamaram a atenção haha
    gap-gaphae.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Nunca li nenhum livro da Meg nem da Patricia, acho que romance não é meu genero ideal hahaha
    Achei a capa simples mas muito bonita!!
    Beijao

    ResponderExcluir
  10. Olá,
    Já li este livro e concordo com você sobre ser um ótimo romance, apenas discordo com ser para maiores de 18, não creio que as cenas são tão hots assim.
    Leia outros livros dela que com certeza você vai gostar.

    http://euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
  11. Ainda não li nada da autora, mas isso logo mudará, pois esse mês chegou o livro da parceria com a editora, 'Aprendendo a seduzir'.

    Adorei a resenha, parabéns!

    Super beijo
    Literaleitura

    ResponderExcluir
  12. Oiiie
    eu gosto muito da meg cabot mas nunca li nenhum livro dela com esse nome por fugir do gênero que curto, mas a nova capa está muito melhor que a antiga e parece ser um enredo bem gostoso de ler, quem sabe eu não arrisque

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi, tudo bem?
    Eu nunca li nada dessa autora e confesso que não tenho tanta curiosidade, sabe? Apesar de ser o meu gênero favorito, não fico muito animada :c Bom, eu achei interessante a premissa desse livro e imagino que deva ser bacana acompanhar o desenvolvimento da relação de Stuart e Emma.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  14. Da Meg já li a série A Mediadora, amo demais, mas quero ler algo dela como Patricia, gostei da premissa desse livro, mas a verdade é que quero todos os outro também!
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Olá! Ainda não li nada da Meg ou de seu pseudônimo, mas sua resenha me deixou muito curiosa para conhecer a história da protagonista. Apesar de previsível, achei o enredo encantador e divertido - até me peguei sorrindo enquanto lia a resenha, hahah. >< Achei a capa da segunda edição, assim como as fontes usadas nela, muito mais bonita do que o trabalho da primeira, apesar de ele também ser bonito. Adorei os seus comentários e as fotografias que usou na publicação <3

    Beijos,
    Fernanda F. Goulart,
    Império Imaginário.

    ResponderExcluir
  16. Já tiver a oportunidade de ler algumas obras da Meg, mas ainda não li algo escrito com seu pseudônimo.

    Gosto da escrita da autora e acredito que irei gostar desta obra também.

    ResponderExcluir
  17. Bom, não é o tipo de livro que eu leria agora. Mas como amo romances se tivesse um filme certamente eu assistiria. Sua resenha tá ótima,me convenceu ;)
    Abraço;

    http://estantelivrainos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  18. Há um tempo, dei uma foleada num livro da Meg, achei bem adolescente. Lendo a resenha, achei um pouco cruel o Stuart morrer, ele não poderia ter se apaixonado por outra pessoa? :O
    É um enredo interessante, e principalmente para quem aprecia o estilo, acredito ser uma boa leitura.

    ResponderExcluir
  19. Esse também foi o primeiro (é único) livro que li da Meg. Amei demais na primeira vez que o li, em 2013. Fico feliz em saber que gostou! Realmente a Emma e seus sentimentos poderiam ter sido melhor desenvolvidos. Ainda assim, um romance lindo e bem escrito. Eu confesso que achei essa capa linda,mas não para esse livro :( nesse caso prefiro a antiga.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  20. Se eu não lê-se a resenha, nunca iamginaria que o livro é um romance de época haha. Mas eu amooo livros de romance de época. Gostei da resenha, mas me fez lembrar muitooo "o conde enfeitiçado" da Julia Quinn da série Os Bridgertons, não sei se você já leu então não falaria para não dar spoilers. Sério, acho que se você tivesse lido com toda certeza lembraria, tirando pelo fato que no fim há um "segredo", claro. Acho que por isso mesmo não leria o livro, não que achei chato ou por não ter gostado, muito pelo contrário, porém se eu lê-se ficaria comparando com o livro da Julia, o que não gostaria de fazer, mas tirando isso o livro parece ser bom e uma leitura leve.

    ResponderExcluir
  21. Adorei conhecer o livro pelos seus olhos, mas confesso que fica por aí. Não tenho a interesse de lê-lo. Ah, não sabia que a autora usava codinome. Acho tão legal isso. Mas acho que antigamente era mais desafiante para os leitores descobrirem o autor e seus outros 'eus". Em tempos de internet o leitor sabe cedo demais.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  22. Olá Letícia, apesar de ainda não ter lido nada da autora morro de vontade de conhecer sua escrita que é tanto elogiada e esse livro parece ter um enredo bem legal e um pouco diferente *-* Vou anotar a dica.

    Visite "Meu Mundo, Meu Estilo"

    ResponderExcluir
  23. Meg Cabot é uma autora que leio seus livros sem questionar, independente do nome que esteja usando, simplesmente amo desde A mediadora.

    ResponderExcluir
  24. Eu adoro os livros que a Meg escreve como Patrícia, porque geralmente são mais adultos, embora não percam o lado engraçado que é característica dela. Fiquei empolgada quando vi o lançamento e depois da resenha, mesmo sabendo que ela não se aprofunda muito nos sentimentos dos personagens, me animei ainda mais. Quero para ontem!

    www.nemteconto.org

    ResponderExcluir
  25. Entrei nessa moda de romance de época e estou adorando hahaha
    Esse livro tem uma história diferente da maioria dos romances de época, gostei bastante. Nunca li nada da autora, talvez eu começe por esse livro.rs
    É uma pena que a protagonista não seja tão bem desenvolvida quanto James. Posso dizer que já gostei dele só pela sua descrição.

    Beeijos, Erica Regina
    Blog Parado na Estante / Fanpage Parado na Estante

    ResponderExcluir
  26. oi Letícia,
    também nunca li nada da Meg, mas acabei de comprar um livro dela como Patricia. Sinto que eu também me darei melhor com essa escrita, do que com a juvenil,rs.
    Esse livro realmente parece ser lindo. Também gosto quando a autora desenvolve os sentimentos, e não apenas os apresenta como uma constatação repentina, mas como esse foi o único problema que você apontou, creio que também vou curtir a leitura
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  27. Oie, tudo bom?
    Sério que foi sua primeira experiência com a autora? Nossa, gosto da escrita dela nas duas versões, como Patrícia e Meg. Adoro os personagens que ela cria e suas tramas históricas divertidas e envolventes. Recentemente li Aprendendo a Seduzir e gostei bastante. Vou ler Pode Beijar a Noiva em breve.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo ao meu blog.
Sua opinião é muito importante, mas se lembre que respeito é bom e eu gosto!
Seguiu? Deixa o link que eu sigo de volta. E também retribuo os comentários.

Obrigada por vir até meu cantinho!